Vila Costa e Silva ganha Feira da Economia Solidária

arnaldo salvetti trabalho renda economia solidaria

A Secretaria Municipal de Trabalho e Renda de Campinas vai inaugurar no sábado mais uma feira da Economia Solidária com 23 expositores dos segmentos de artesanato e alimentação. Com mais esta feira, a sétima implantada na cidade, sobe para 135 o número de famílias beneficiadas pelo programa.
 
A nova feira passa a funcionar a partir das 9h deste sábado (05/dez) na praça central da Vila Costa e Silva, ao lado de onde é realizada a feira tradicional de hortifrútis do bairro. “Por se tratar de produtos artesanais, uma feira não compete com a outra. Ao contrário, elas se ajudam mutuamente na atração de público”, informa o secretário de Trabalho e Renda, Arnaldo Salvetti Palácio Júnior.
 
Inicialmente, ela contará com 15 expositores sendo 10 do segmento de alimentação e cinco de artesanato. O espaço da praça é amplo e outros empreendedores poderão se inscrever na Secretaria de Trabalho e Renda para participar.
 
Todos os produtos ofertados na Feira da Economia Solidária devem ser feitos, obrigatoriamente, artesanalmente. É vedada a venda de industrializados no local. Para participar, os empreendedores passaram por oficinas sobre o funcionamento da Economia Solidária e sobre manipulação de alimentos.
 
“Estamos oferecendo as possibilidades que temos no momento para que as pessoas consigam uma renda mínima para sustentar as suas famílias”, explica Arnaldo Salvetti Palácio Jr., secretário municipal de Trabalho e Renda.
 
A feira Vila Costa e Silva será a sétima do gênero em Campinas.
 
Outras seis estão instaladas na Praça Bento Quirino e Largo do Pará (Centro), Avenida Suaçuna e Parque Linear Capivari (região do Ouro Verde), Praça da Concórdia (Campo Grande) e bairro Vida Nova.
 
Ao todo, cerca de 135 famílias são beneficiadas pelo programa e existe um grupo de 130 pessoas sendo capacitado para a formação de novas feiras na cidade.