Micro e pequenos empreendedores aprendem a vender ao governo

arnaldo salvetti trabalho renda dia trabalhador economia solidaria emprego

Como parte da programação da Semana do Empreendedorismo, neste terça-feira, dia 6 de outubro, os micro e pequenos empreendedores de Campinas receberam orientações sobre os procedimentos para participar de licitações do governo para venderem seus produtos e serviços. O evento, promovido em parceria pelas secretarias municipais de Trabalho e Renda e de Desenvolvimento Econômico, Social e de Turismo, com apoio do Sebrae, contou com a presença de cerca de 200 participantes no Salão Vermelho da Prefeitura de Campinas.
 
 
O seminário foi denominado “Preparando-se para o mercado de compras públicas” e contou com a presença do vice-prefeito de Campinas, Henrique Magalhães Teixeira. Na abertura, o vice-prefeito destacou a força dos pequenos empreendedores na economia local e sua contribuição para o desenvolvimento do município. “Campinas tem mais de 38 mil microempreendedores e sua contribuição é muito importante para a cidade. Se eles já vendem seus produtos e serviços regularmente, por que não vender também para o governo? Espero que esse seminário ajude-os e incentive sua maior participação nas licitações públicas”, afirmou.
 
 
O seminário foi dividido em três blocos para melhor explicar os procedimentos. Os temas foram “Casos de sucesso de microempreendedores”; “Requisitos para as compras governamentais” e “Legislação tributária e de uso do solo”.
 
 
O secretário de Trabalho e Renda, Arnaldo Salvetti, lembrou que a formalização de microempreendedores é um alívio para o mercado de trabalho formal, que apresenta diminuições sucessivas de vagas de emprego. “Eu acredito que os pequenos e microempreendedores é que vão ajudar o Brasil a reverter o atual quadro de crise”.
 
 
Aproveitando a deixa, a presidente da Acic (Associação Comercial e Industrial de Campinas), Adriana Flosi, disse que ela “removeu” a letra “s” da palavra “crise”. “Crie. Essa é a nova palavra que deve ser usada nos tempos atuais. Os microempreendedores individuais já são cinco milhões no Brasil e, por isso, são muito importantes”. Ela também destacou a importância da qualificação. “As oportunidades aparecem para quem está qualificado”, enfatizou.
 
 
Já o gerente geral do Sebrae Campinas, José Carlos Cavalcante, lembrou que a Semana do Empreendedorismo, que vai até 10 de outubro, deve sensibilizar a sociedade para comprar no pequeno comércio de bairro. “Imaginem o transtorno que seria se todos tivessem que ir de carro, ônibus ou bicicleta até o centro da cidade para fazerem suas compras. Temos que fortalecer os pequenos comércios”, disse.
 
 
A diretora de Desenvolvimento Econômico da Prefeitura de Campinas, Mariana Savedra, reforçou que o seminário é uma espécie de chamamento da cadeia produtiva feito pelo Governo. “Temos muitas oportunidades para micro e pequenos negócios. Até o final do ano, vamos ultrapassar a marca de 12 mil microempreendedores individuais somente em Campinas”, revelou.
 
 
Casos de sucesso
 
 
Duas participantes, de Campinas e de Amparo, mostraram um pouco o que fazem e como conquistaram o sucesso profissional na condição de microempreendedoras. A “Janela da Namoradeira”, uma loja de doces artesanais de Amparo, é um dos exemplos que já foi destaque até em reportagens nacionais de uma grande emissora de televisão. “Eu estava decolando na minha profissão de figurinista no Rio de Janeiro, mas resolvi largar tudo e voltar para minha cidade, Amparo”, conta Iara Battoni, proprietária do negócio.
 
 
“Eu tinha aprendido a fazer doces com minha mãe na infância e decidi vender chocolate quente na janela de casa. Era para durar 15 dias apenas, mas a ideia era tão inédita e foi dando tão certo que já estou há três anos vendendo meus docinhos na janela” explicou. Para o sucesso, além das deliciosas receitas, ela conta que se caracterizou como a “namoradeira”, aquele enfeite utilizado em janelas. “A construção da personagem é também um diferencial importante que ajudou a alavancar o negócio”, diz. As redes sociais, como o Facebook, a ajudaram na divulgação. “Recebo gente de diversas cidades que vão até Amparo apenas para conhecer a Namoradeira”, completa.
 
 
Com 55 anos de idade e 29 de profissão, Renilda Silva Leão está construindo seu sonho com o salão de beleza que mantém no Jardim Florence. Ela conta que educou dois filhos com graduação universitária, comprou terreno, construiu sua casa própria graças ao seu trabalho. “Agora quero comprar um carro e viajar”, revela.
 
 
Ela iniciou o negócio por força da necessidade. Desempregada e com dois filhos pequenos, ela disse que precisava fazer alguma coisa que deixasse tempo para cuidar da casa, do marido e dos filhos. “Eu sempre digo que a pessoa tem que confiar em si mesma e buscar fazer alguma coisa de que é capaz”, aconselha. “Hoje tenho até notebook”, comemora.
 
 
Para chegar ao sucesso, ela estudou muito. Renilda conta com orgulho que possui 35 certificações de cursos de qualificação pelos quais passou. “Nesse mercado, a gente tem que ficar atualizada”, recomenda.