Dia D da inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho lota agência do CPAT no Centro

arnaldo salvetti trabalho renda dia trabalhador economia solidaria emprego

Mais de 500 atendimentos foram registrados pelo Centro Público de Apoio ao Trabalhador (CPAT), órgão ligado à Secretaria Municipal de Trabalho e Renda, nesta sexta-feira (25/Set), durante a realização do Dia D da inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho. Pelo menos 42 pessoas saíram de lá já contratadas ou com carta de encaminhamento para serem contratados ao longo da semana.  Outros 154 fora pré-selecionados e vão aguardar em casa o comunicado das empresas após o término do processo seletivo.
 
Ao todo, 44 empresas ofertaram 305 vagas com salários que variavam entre R$ 900,00 a R$ 4 mil para pessoas com escolaridade desde o fundamental até o superior completo. Mais de 60 funcionários do CPAT atuaram durante todo o dia no processo de cadastramento e encaminhamento dos candidatos às empresas para o preenchimento das vagas.
 
O Dia D da Inclusão Social e Profissional da Pessoa com Deficiência no Mercado de Trabalho é uma ação promovida pelo Ministério do Trabalho e Emprego, com o suporte da Secretaria Municipal de Trabalho e Renda e parceria do INSS e Secretaria Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida.
 
“Mesmo com a lei de cotas, que obriga empresas com mais de 100 funcionários a manter pessoas com deficiência em seus quadros funcionais, as companhias encontram dificuldades para buscar o profissional com a qualificação desejada”, disse Arnaldo Salvetti Palácio Jr, secretário municipal de Trabalho e Renda. “O Dia D da inclusão foi uma excelente oportunidade para que estas empresas encontrassem o profissional desejado com a vantagem de utilizar gratuitamente os serviços e as dependências do CPAT para escolher o candidato ideal para a vaga ofertada”, explicou.
 
A secretária dos Direitos da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida, Emmanuelle Lopes Garrido Alkmin Leão, também participou da ação. "Quando eu penso na pessoa com deficiência no mercado de trabalho, eu penso em geração de lucro, no ganho para a empresa. Que hoje seja o começo desta reflexão, a continuidade para quem já faz e espero que estejam olhando este funcionário pensando que pode ele trazer produção para equipe, aumento de rentabilidade, além de melhoria do clima", disse.
 
Também estiveram presentes o Chefe da Fiscalização da Gerência Regional do Trabalho e Emprego em Campinas / Ministério do Trabalho e Emprego – GRTE/TEM, Marcel Giuliano Silveira de Sousa e Odair Marcos Cremasco, Gerente Executivo do INSS de Campinas.
 
A Lei de Cotas obriga as empresas com mais de 100 funcionários a incluírem pessoas com deficiência (PcD) ou beneficiários reabilitados no seu quadro de efetivos e o Ministério do Trabalho atua para que essa contratação se dê da melhor maneira possível, incentivando e cobrando das empresas sua responsabilidade legal e social, de modo a proporcionar às pessoas com deficiência e aos beneficiários reabilitados o acesso a uma vaga no mercado de trabalho em igualdade de oportunidades.
 
Oportunidade bem-vinda
 
Para o vigia Wanderley Nepomuceno da Silva a ação do Dia D foi melhor do que ele esperava. Com uma esposa e três filhos para criar, ele foi o primeiro a ser contratado na manhã da sexta-feira, pela Irmandade de Misericórdia de Campinas. “Ninguém quer um funcionário de muletas, muito menos na função de vigia. Esse dia está sendo muito bom para mim”, contou.
 
Após passar dois anos desempregado ele sabe que o Natal será um pouco mais alegre neste ano. “Esse emprego era exatamente o que eu estava procurando” disse que comentou que sua esposa, que até então sustentava a família, também havia encontrado emprego por intermédio do CPAT. “O atendimento aqui é muito bom, estão todos de parabéns”, concluiu.
 
Outro que tem motivos de sobra para comemorar é o jardineiro Denilson de Oliveira Sarafim. Com um encurtamento na perna após sofrer um acidente, ele contou que foi ao CPAT atrás de outra vaga, mas que decidiu arriscar em algo diferente e deu certo. Sua contratação, desde o tempo de chagada, triagem e espera se deu em 32 minutos. “Foi tudo muito rápido. O atendimento aqui é sensacional”, elogiou. Ele estava há oito meses desempregado. Morador do Jardim Lisa, ele estava ansioso para voltar para casa e contar a novidade para sua esposa, com quem está casado há 14 anos, teve duas filhas e está grávida novamente. “Esse emprego chegou na hora certa”.
 
Para Warlei Castan, coordenador de Operações da empresa Aliança Multiservice, os serviços prestados pelo CPAT tem sido muito bons. Sua empresa já contratou mais de 100 pessoas pela agência pública municipal de empregos. “Eu já tinha disponibilizado esta vaga no CPAT há oito meses, mas estava com dificuldade de encontrar pessoal qualificado para o cargo. Hoje fomos muito bem. Encontramos o funcionário desejado logo na primeira entrevista”, comemorou ao encaminhar o jardineiro Denilson para contratação.